CAJU

CAJUEIRO (Anacardium occidentale)

 

Descrição : Da família das Anacardiaceae, também conhecida como cajú, anacardo, acaju, acajuíba, caju-manso, cajuzeiro; Árvore que pode alcançar mais de 10 metros de altura, e que apresenta o tronco atarracasdo, tortuoso, esgalhado a partir da base, ramos longos e sinuosos a formar fronde, coriáceas e, quando novas de tonalidade roxo-avermelhadas. As flores são pequenas, verdes, esbranquiçadas ou vermelhas.

O verdadeiro fruto (Castanha) se prende à extremidade da flor, sendo um aquênio reniforme. Cada castanha contém uma amêndoa. O pseudofruto dsenvolve-se a partir do pendúculo floral, tem a casca fina, de cor vermelha ou amarela, de acordo com a espécie, e é carnoso e suculento. Esse pendúculo floral hipertrofiado que deniminadmos caju, varia no tamanho, na forma, na cor e no sabor.

Parte utilizada: Casca do caule e ramos; casca e pedúnculo; casca da castanha; raiz; folhas, frutos, sementes, óleo.

Cultivo : No cultivo pouco exigente em relação ao solo, mas prefere climas com temperatura acima de 22 graus centígrados, com boa pluviosidade, mas necessita de um bom período de seca para produzir.

Modo de Conservar : O caju com o fruto devem ser colhidos com rede acoplada a uma vara. O Caju pode ser consumido fresco, devendo ser guardado em geladeira. A folha e casca do caule devem ser secas ao sol e armazenadas em sacos de papel ou de pano. O revestimento externo da castanha de ve ser retirado manualmente, e a semente torrada.

Origem : É uma árvore originária do norte e nordeste do Brasil.

Propriedades medicinais: Adstringente, antidiabético, anti-hemorrágico, antiinflamatório, anti-reumático, antitérmico, antiulcerogênica, cáustico, diurético, laxante, piscicide, purgante, tônico, vermífago.

Indicação : O cajueiro é utilizado como alimento in natura ou na preparação de doces caseiros, sucos e sorvetes. O suco feito de seu pedúnculo ou pseudo-fruto, puro e adoçado (a cajuada), é um saudável tônico refrigerante.

Clarificado e cozido produz a popular cajuína, bebida de cor âmbar, destanificada, refrescante e de excelente sabor. O suco é diurético e excitante. Do sumo ainda se obtém vinho, vinagre, aguardente e licor.

Apenas uma pequena parte da sua grande safra, infelizmente, é utilizada pela indústria pelo processamento do caju.

A goma purificada é usada pela indústria farmacêutica como agregante em comprimidos no lugar da goma-arábica produzida na África.

A castanha contém um óleo-resina cáustica, conhecido como LCC (líquido da castanha de caju). A composição do LCC é principalmente de ácido anacárdico, cardol (11,31%) e seus derivados.

Dentro da castanha é que se encontra a amêndoa oleaginosa, comestível, conhecida e comercializada como castanha de caju.

O LCC causa forte irritação na pele, deixando cicatrizes quase indeléveis que jovens usam para fazer um tipo primitivo de tatuagem. O LCC espesso é de cor escura, tem uso popular para verrugas, calos, edemas, manchas na pele e tecidos de neoformação.

O uso em estado fresco do fruto (castanha) pode provocar lesões na pele, pois é terrivelmente cáustico. Quando as sementes são torradas perdem esta propriedade, tornado-se comestíveis, sendo um alimento saboroso, excitante e usado nos regimes de emagrecimento, tido pela sabedoria popular como fortificante da memória.

Nas práticas da medicina caseira são usados preparações de uso oral, feitos com a entrecasca, a goma, e o LCC (líquido da castanha do caju) de acordo com as tradições. O uso da casca do cajueiro ativa o metabolismo dos açúcares, principalmente das pessoas que têm o açúcar aumentado no sangue e na urina.

Nas regiões de mata brasileira as cascas são usadas para hemorróidas. Fazem o chá com a casca, adicionando broto de goiaba, raspa de amor-crescido e cajá. Para uso externo o uso do cozimento da entrecasca, em bochechos e gargarejos, como anti-séptico antiinflamatório nos casos de feridas e úlcera da boca e afecções da garganta, bem como para lavagem de feridas malignas. O broto de caju é utilizado para combater dores no estômago e problemas digestivos e deve ser fervido com broto de goiaba, embora sua eficácia e segurança ainda não tenham sido comprovadas cientificamente.

O sumo das folhas novas é utilizado para combater aftas. Sua raiz é purgativa. Os índios TICUNA da Amazônia usam o suco de seu pseudo-fruto como preventivo contra gripes.

 

SOBRE A FRUTA DO CAJU

 

COMPOSIÇÃO QUÍMICA (100g)

Calorias

Pedúnculo ........................................................36,50

Suco .................................................................52,20

Castanha torrada ............................................. 609,00

Água

Pedúnculo comestível ....................................... 86,60

Suco ................................................................ 86,00

Castanha torrada .............................................. 26,40

Hidratos de carbono

Pedúnculo comestível ......................................... 8,40

Suco ................................................................ 10,00

Castanha torrada .............................................. 26,40

Proteínas

Pedúnculo comestível ......................................... 2,80

Suco .................................................................. 2,80

Castanha torrada .............................................. 16,60

Gorduras

Pedúnculo comestível ....................................... 00,30

Suco ................................................................ 00,00

Castanha torrada .............................................. 47,20

Sais

Pedúnculo comestível .......................................    1,20

Castanha torrada ..............................................    1,50

Os sais do caju, em 100 gramas, acham-se nas seguintes proporções:

Fósforos

Pedúnculo comestível ....................................... 500,00

Castanha torrada .............................................. 575,00

Cálcio

Pedúnculo comestível ......................................... 50,00

Castanha torrada ...............................................165,00

Ferro

Pedúnculo comestível .........................................   0,40

 

VALOR ALIMENTÍCIO

Depois de minuciosos estudos sobre o caju, constatou que essa fruta é, do Brasil, a maior fonte de vitamina “C”, possui mais do dobro de ácido ascórbico (vitamina C) que qualquer outra fruta, deixando atrás o limão e a laranja, que são as fontes mais conhecidas.

O caju amarelo é o mais rico de todos, contém Vitamina C/220mg enquanto o vermelho possui Vitamina C/212mg.

Apenas 30 a 40 g de caju, por dia, fornecem toda a quota de vitamina C necessária ao homem adulto.

Fruta de sabor agradabilíssimo, o caju merece, em conclusão, a melhor acolhida às nossas mesas.

 

USO NA MEDICINA

 

Contra-indicações/cuidados: O óleo é um irritante de pele; o vapor do óleo é irritante se inalado.

Modo de usar:

-Pseudofruto: diurético;

-Castanhas: fonte de nutrientes, controlar a diarréia, hipoglicemia, gripe.

- Decocção de 10 g da casca do caule e dos ramos em um litro de água, por 30 minutos.

Uso externo: tumores, inflamação da garganta, aftas, inflamações vaginais; adicionar água quente: banhar os pés: cansaço dos pés, frieiras; internamente: reduz os níveis de açúcar no sangue;

- Decócto da casca e suco do pedúnculo: reumatismo, diabete, tônico, avitaminose C, nematicida;

- Óleo da casca da castanha, uso externo: calos e verrugas, dermatoses rebeldes;

Decócto da raiz: purgativo;

Infusão ou decocção das folhas e cascas: fraqueza orgânica, debilidade muscular, glicose na urina, afecções catarrais, tosses, bronquites, escorbuto, cólicas intestinais, doenças da pele sifilíticas ou não, psoríase, dartros, eczemas, dispepsias, icterícia, adstringente, antiinflamatória, antidiabético, anti-hemorrágico.

- Em gargarejos: inflamações da garganta e aftas, (na África ocidental): malária; externamente: lepra, verrugas, enfermidades da pele;

Infusão das folhas: reduz a febre; lavar feridas e úlceras, diminuir os níveis de açúcar no sangue;

Nota: na África, a infusão das folhas é utilizada para combater a malária.

Frutas: diurética, diarréia, gripe; - extrato da casca: anticoncepcionais (nativos da amazônia).

Para diabetes : Coloque uma colher de chá do pó da casca do caule do caju vermelho, em uma xícara de chá de água em fervura. desligue o fogo, deixe em repouso por 24 horas e coe em uma peneira, Use para fazer bochechos, gargarejos ou para lavar feridas infeccionadas.

Feridas; infecção da garganta : coloque uma colher de sopa do pó da casca do caule em um copo de água em fervura desligue o fogo, deixe em repouso por 24 horas e coe em uma peneira. Use para fazer bochechos, gargarejos ou para lavar feridas infeccionadas.

 

 PRODUÇÃO DE CAJU EM ASSUNÇÃO DO PIAUÍ

A produção de Caju no Municipio de Assunção do Piauí é espalhada em todo o território do município, mas seu destaque está concentrado na região de Tetéu e Brejinho com uma produção de castanha em média escala em relação a  sua área de cultivo.

Todos os anos, precisamente na segunda semana do mês de outubro, a Comunidade Brejinho realiza a tradicional Festa do Cajú que já passou de sua 8ª edição.

 

Fonte: José C. da Silva / plantasquecuram.com.br 

Foto/Edição: Assunc@oLivre

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!