FAMÍLIAS DA COMUNIDADE CENTRO DO MEIO AGUARDAM COM ANSIEDADE DECISÃO DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO PIAUÍ “para julgar em favor do rico o TJPI é ágil e rápido, mas para julgar em favor dos pobres o TJPI demora muito”.

Depois de serem despejadas de suas terras, a família de Dona Raimunda Lopes Pereira, representando as demais famílias da Comunidade Centro do Meio, entraram com um “mandado de segurança” junto ao Tribunal de Justiça do Piauí (TJPI) requerendo a derrubada da liminar despachada pelo TJPI, em setembro de 2013, repassando às terras da referida comunidade para pessoa de Maria José Campelo de Carvalho, que é esposa de Edmilson Alves de Carvalho (donos da Empresa de Transporte Coletivo - ENTRACOL), de forma abusiva e arbitrária.

O processo tem como Advogados: Rafael de Melo Rodrigues, Emídio Borges Leal JuniorJoão Carlos Fortes Carvalho de Oliveira, Marcos Antonio Cardoso de Souza e Tiago José Feitosa de Sá, e foi dado entrada no TJPI no dia 08 de outubro de 2013, com o protocolo 2013.0001.006867-1, que, segundo andamento do processo informado pelo site do TJPI, o processo com mais de 150 páginas, estar sob responsabilidade do Desembargador Hilo de Almeida Sousa. Como trata-se de uma mandado de segurança a família esperava que o despacho fosse sair na ultima terça-feira (15/10), como não saiu ainda a família aguarda com angustia e ansiedade, pois nos autos do processo consta a certidão e a legitimidade do imóvel que pertence a família de Raimunda Lopes Pereira, “estou quase perdendo a fé na Justiça do Piauí, pois para despachar um processo mentiroso em favor de Edmilson Alves Carvalho o TJPI foi tão ágil e eficiente, enquanto para despachar um processo verdadeiro em favor de famílias injustiçadas está demorando tanto”, disse Francisco Alves Pereira, um dos legítimos donos do Centro do Meio, a uma pessoa de nossa equipe.

Enquanto se tramita o processo no TJPI a Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado do Piauí (FETAG-PI), Ordem dos Advogados do Brasil (OAB Piauí e Nacional), Instituto de Colonização e Reforma Agrária (INCRA de Brasília) e STTR de Assunção do Piauí estão tomando outras ações em favor das famílias da Comunidade Centro do Meio e de outras famílias que foram despejadas anos anteriores pelo referido grupo de grileiros de terras em Assunção do Piauí. O caso que era tratado só por instâncias órgãos do Piauí agora ganhou força da OAB nacional, INCRA nacional, Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) e Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (CONTAG).

 (Caçula da FETAG-PI apresenta caso do Centro do Meio para Ministro do MDA Pepe Vargas, ao lado esquerdo (de branco) Presidente Nacional do INCRA Carlos Guedes de Guedes).

 

VEJA MAIS SOBRE O CASO CENTRO DO MEIO

 

Fonte/Foto: Elizângela Bezerra

Edição: Assunç@oLivre

       

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!